Guia Gessulli
18-Out-2019 10:26 - Atualizado em 18/10/2019 10:46
Mercado Externo

Tyson Foods proíbe ractopamina em suínos dos EUA

Medida ajusta a empresa às possibilidades de exportação para a Ásia, num momento em que a China negocia o fim da guerra comercial de 18 meses com os EUA

Resumo da Notícia

  • Assim como a JBS americana, a Tyson Foods anunciou que irá proibir o uso da ractopamina nos suínos que compra dos criadores
  • Em um esforço de atender as exigências do mercado chinês, empresas do setor de carnes nos Estados Unidos estão mudando a forma de alimentação dos suínos
  • A medida ajusta a empresa às possibilidades de exportação para a Ásia, num momento em que a China negocia o fim da guerra comercial de 18 meses com os EUA

Em um esforço de atender as exigências do mercado chinês, empresas do setor de carnes nos Estados Unidos estão mudando a forma de alimentação dos suínos. Por isso, assim como a JBS americana, a Tyson Foods anunciou que irá proibir o uso da ractopamina nos suínos que compra dos criadores. A medida ajusta a empresa às possibilidades de exportação para a Ásia, num momento em que a China negocia o fim da guerra comercial de 18 meses com os EUA.

“Isso pavimenta o caminho para um rápido aumento dos embarques para a China”, diz Dennis Smith, analista de carnes na Archer Financial Services. Smith destaca que, devido ao efeito devastador da peste suína africana (PSA) na Ásia, tanto o Vietnã como a Coreia do Sul também devem precisar de mais carne suína em breve.

"A febre suína africana se espalha pela Ásia, infectando milhões de porcos e causando prejuízo sem precedentes. A China, que detém metade do plantel mundial, é o país mais atingido e viu os preços da carne de porco dispararem. O ministro chinês das Relações Exteriores, Geng Shuang, disse nesta semana que o país irá acelerar as compras dos EUA, onde já foi buscar neste ano 20 milhões de toneladas de soja e 700 mil toneladas de carne suína"

Redação SI com informações Bloomberg
Deixe seu Recado