AveSui EuroTier South America Full
08-Fev-2019 09:51
Agroindústria

Tyson Foods registra recuo de 66% no lucro líquido no 1º tri fiscal

O lucro ajustado foi de US$ 1,58 por ação, perda de 13% em comparação ao mesmo período ano anterior de US$ 1,81 por ação.

A processadora de carnes norte-americana Tyson Foods obteve lucro líquido de US$ 552 milhões (US$ 1,50 por ação) no primeiro trimestre fiscal de 2019, queda de 66% em relação a igual período do ano passado. As vendas recuaram 0,35%, para US$ 10,193 bilhões. O lucro ajustado foi de US$ 1,58 por ação, perda de 13% ante o obtido em igual período do ano anterior de US$ 1,81 por ação.

A companhia destacou que no período concluiu a aquisição da Keystone Foods em 30 de novembro de 2018 e recomprou 1,4 milhão de ações por US$ 83 milhões. “A Keystone terá um papel importante ao executarmos nossa estratégia de crescimento, especialmente com clientes estratégicos e nos principais mercados internacionais”, avaliou o CEO da Tyson, Noel White.

As vendas do trimestre no segmento de carne bovina totalizaram US$ 3,926 bilhões, aumento de 1% ante igual período de 2018. No segmento de carne suína, houve uma queda de 8,1%, para US$ 1,179 bilhão.

A carne de frango foi o setor que obteve maior incremento nas vendas. No trimestre, foram US$ 3,115 bilhões, avanço de 3,9% ante igual período do ano anterior. A receita de alimentos preparados caiu 6,2% no trimestre, para US$ 2,149 bilhões.

Para o ano fiscal de 2019, a empresa reafirmou a projeção de um lucro líquido ajustado por ação entre US$ 5,75 e US$ 6,10. “A demanda global de proteína continua forte e estamos bem posicionados para atender à demanda com nosso modelo diversificado de negócios e portfólio diferenciado”, disse White, destacando que a companhia objetiva um crescimento sustentável de longo prazo. Para o fim do ano fiscal de 2019, a Tyson estima receita de US$ 43 bilhões.

Nesta manhã, a Tyson também anunciou a compra de ativos da BRF na Tailândia e na Europa, por US$ 340 milhões. A transação envolve unidades de processamento de alimentos e abate de aves. Em comunicado, a companhia afirmou que o negócio integra sua estratégia de ampliar a participação no mercado global e em operações com maior valor agregado.

Estadão Conteúdo
Deixe seu Recado