11-Set-2017 08:28 - Atualizado em 11/09/2017 08:40
Mercado

Urgência na compra valoriza preço do milho enquanto demanda impulsiona valor da soja

A necessidade de aquisição imediata por parte de compradores de milho, devido aos baixos estoques, aliada à retração vendedora, impulsionou as cotações do cereal no mercado interno. Após fortes desvalorizações em agosto, as cotações da soja em grão reagiram neste início de setembro, impulsionadas pelo aumento da liquidez no mercado doméstico e pela firme demanda externa.

Com dificuldade de encontrar grandes volumes disponíveis para comercialização, agentes tiveram de elevar o valor de suas ofertas para adquirir lotes.

Do lado vendedor, agricultores esperam por preços mais elevados para negociar o restante da safra, devido, principalmente, à grande redução da área de milho verão. Na sexta-feira, 8, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (Campinas/SP) fechou a R$ 28,13/sc de 60 kg, alta de 2,9% frente à sexta anterior.

Soja

Com o objetivo de fazer caixa para pagamento das dívidas de custeio de milho segunda safra ou mesmo de insumos da safra de verão 2017/18, produtores estiveram mais dispostos a negociar nos últimos dias.

O Indicador da soja ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá registrou alta de 1,25% entre 1 e 8 de setembro, para R$ 70,31/saca de 60 kg no dia 8. O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná subiu 0,7% no mesmo comparativo, com média de R$ 64,76/sc na sexta-feira. 

Cepea/Esalq
Deixe seu Recado