Agroceres Multimix SI
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Suspensão

Veto da China à carne bovina brasileira já dura mais de um mês e assusta governo

No início de setembro, o Brasil suspendeu os embarques da proteína ao país asiático depois da confirmação de casos da vaca louca

Redação com informações de Carta Capital
19-Out-2021 11:55

Autoridades brasileiras estão perplexas, de acordo com reportagem do jornal Financial Times, após a China não retomar as importações de carne brasileira.

No início de setembro, o Brasil suspendeu voluntariamente os embarques da proteína ao país asiático depois da confirmação de dois casos de doença da vaca louca em diversos frigoríficos nacionais.

De acordo com a publicação, muitos esperavam que, com nenhum sinal da doença, as exportações retomassem rapidamente. A suspensão já dura quase seis semanas.

“O Brasil foi totalmente transparente com as autoridades sanitárias chinesas. Temos respondido prontamente a todos os pedidos de informação dirigidos a nós. Além disso, solicitamos uma reunião técnica, ainda não agendada pelas
autoridades chinesas, que afirmam estar analisando as informações que enviamos”, disse um funcionário do Ministério da Agricultura.

“Não podemos estabelecer uma data para a retomada das exportações de carne bovina para a China porque a decisão não depende de nós”, acrescentou.

Ao jornal, um executivo de um grande frigorífico disse estar “surpreso que a suspensão tenha durado tanto e esperamos uma solução em breve, mas sem garantias”.

A China é o maior destino dos produtos brasileiros. A suspensão, segundo a publicação, ameaça dizimar exportações de aproximadamente 4 bilhões de dólares por ano (21,8 bilhões de reais).

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade