AveSui
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Comentário

Você tomaria a mesma água que seus animais tomam na granja?

Os avanços em nutrição, melhoramento genético, tecnologias para ambiência, gestão de pessoas, e automação de processos permitem que o setor cresça a passos largos, e como profissionais precisamos nos atualizar com frequência.

Marcos Franco

Médico veterinário, especialista em suinocultura, e atual Gerente de Vendas da MS Schippers Brasil.

01-Abr-2021 14:36 - Atualizado em 20/04/2021 09:10

Na suinocultura atual, os participantes da cadeia evoluem de forma muito rápida. Os avanços em nutrição, melhoramento genético, tecnologias para ambiência, gestão de pessoas, e automação de processos permitem que o setor cresça a passos largos, e como profissionais precisamos nos atualizar com frequência. Quando falamos de evolução em nutrição, no entanto, a atenção sempre se volta para a ração, enquanto uma pergunta não se cala: e a água?

Hoje é muito comum encontrarmos granjas altamente tecnificadas, com excelentes profissionais, bons índices zootécnicos, mas um controle defasado da água que os animais consomem. Na maioria das vezes, quando questionados sobre a água da granja, os gestores imediatamente pensam na   captação, isto é, na fonte da água, esquecendo-se de que o grande vilão da contaminação (o biofilme) se forma mesmo é durante o trajeto que ela percorre nos canos.  

A formação do biofilme ocorre devido a vários fatores interligados, como o estado de conservação dos canos, a estrutura hidráulica, o dimensionamento do volume de água nos galpões, a fonte de captação, o tipo de limpeza que é feito, entre outros pontos. Uma vez formado, ele estará contaminando a água constantemente, e agregando cada vez mais micro-organismos. Sabendo disso, e pensando que um animal consome três vezes mais água do que alimento sólido, será que estamos refletindo sobre o custo de uma água suja no aproveitamento da ração? Será que não estamos lidando diariamente com o impacto “invisível” da água contaminada na conversão alimentar e GPD?

As tubulações de água conectam indiretamente todos os setores de uma granja, funcionando como ponto para contaminação cruzada entre departamentos, salas e galpões distintos. Do ponto de vista de biosseguridade, isso é importantíssimo, e deve ser levado em consideração junto a todas as medidas de segurança. Conhecer a rede hidráulica da granja é um dos pilares de gestão mais importantes dentro da unidade, e o tratamento dessa água deve ser priorizado para garantir a saúde animal e seu desempenho produtivo. A pergunta é simples: você beberia a mesma água que seus animais bebem? Essa resposta sempre dependerá de você.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade