Alltech
Peste Suína Africana AveSui Inside Cooperativas Agroindústrias Bem - Estar Animal América Latina Comentário Suíno Economia Empresas Exportação Eventos e Cursos Genética Geral Insumos Manejo Meio Ambiente Mercado Externo Mercado Interno Nutrição Piscicultura Pesquisa e Desenvolvimento Processamento de Carne Sanidade Sustentabilidade Saúde Animal Tecnologia Revista Todos os Vídeos TV Gessulli no YouTube Edições Revista Digital Anuncie
Biosseguridad

Colombia presentó avances del plan de contingencia para prevenir el ingreso de la Peste Porcina Africana

El trabajo interinstitucional entre el ICA, Porkcolombia, el Invima y la Polfa en zona de frontera ha sido crucial para mantener al país libre de Peste Porcina Africana, PPA.

12-Fev-2020 11:15 - Atualizado em 12/02/2020 12:29

Por meio de trabalho articulado ao setor suíno colombiano, o Instituto Colombiano Agropecuário (ICA) vem realizando ações conjuntas com a Invima e a Polícia Fiscal e Aduaneira para manter a saúde do território nacional e impedir a entrada de animais e/ou produtos contaminados com Peste suína africana (PSA) no país.

 Antes dos representantes da Porkcolombia, o Instituto apresentou o andamento do plano de contingência que foi ativado em 18 de dezembro, no Norte de Santander, para minimizar o risco de contrabando de carne de porco da República da Venezuela.

"Temos fortalecido o trabalho articulado com o setor privado e outras autoridades nacionais e regionais para proteger a Colômbia da PPP, uma doença que em outros países do mundo causou prejuízos econômicos devido à sua divulgação", disse Deyanira Barrero León, gerente geral da ACI. .

Na reunião, a entidade destacou o fortalecimento dos postos de controle que fazem parte da zona de vigilância, bem como o fortalecimento de visitas a propriedades de alto risco, localizadas no departamento Norte-Santander. Além disso, destacou o trabalho que o Instituto vem realizando nessa área do país, por meio do Centro Integrado ICA, INVIMA, POLFA / DIAN (CIIIP), para impedir a entrada ilegal de produtos à base de carne.

“De 18 de dezembro de 2019 a 26 de janeiro deste ano, no Norte de Santander, foram apreendidos 413 kg de produtos correspondentes a carne de porco, costeleta ou porco da Venezuela. Desses, quatro produtos apreendidos foram amostrados e nove estabelecimentos comerciais na região metropolitana de Cúcuta foram monitorados, nos quais o DNA do vírus não foi detectado ”, disse o vice-gerente de proteção de fronteiras, Diego Rojas Morea .

Entre as ações desenvolvidas pela entidade, para impedir a comercialização de produtos à base de carne de origem duvidosa, há também o aumento dos controles na passagem de fronteira com a Venezuela e o aumento dos controles nos estabelecimentos comerciais de produtos e subprodutos da espécie suínos no Norte de Santander, este último avançado pelo Ministério da Saúde, ICA e Invima.

O Instituto também está implementando uma estratégia de comunicação sobre os riscos da PSA, que está sendo disseminada nos portos, aeroportos e postos de fronteira do país, além de oficinas de educomunicação, supervisão e controle sobre o manuseio de resíduos de vôos. internacional, após a presença da doença ser conhecida em outros países do mundo.

A autoridade de saúde continuará a tomar ações conjuntas com líderes sindicais, produtores agrícolas e autoridades nacionais para manter a saúde e a segurança da produção nacional de suínos.

Utilizamos cookies para que você tenha a melhor experiência de navegação, para medir o tráfego, e para fins de marketing. Para mais informações, por favor visite nossa política de privacidade. Política de Privacidade